Main Contents

Disjuntores

This post is also available in: Inglês

O disjuntor é um equipamento de proteção contra sobrecargas ou curto-circuitos. É, também, muito utilizar como interruptor.

Ele deve sempre ser ligado na(s) fase(s), nunca no neutro (apesar de haver modelos trifásicos com entrada para neutro). Há uma simples explicação para isso: é a fase que ocasiona o choque elétrico, então não faz sentido deixar de interrompê-la para interromper o neutro.

O disjuntor é composto basicamente pelos contatos, um bimetálico e um circuito magnético.

  • Contatos: servem para seccionar o circuito, intencionalmente (manobra de uma pessoa) ou de forma automática (sobrecarga ou curto-circuito).
  • Bimetálico: detecta sobrecargas. É uma lâmina composta por dois tipos de metais, de dilatação diferente. Assim, com o aumento da temperatura (devido ao aumento da passagem da corrente elétrica), a lâmina tende para o lado do metal de menor dilatação, até um limite onde o bimetálico sairá do circuito.
  • Circuito magnético: detecta curto-circuitos. Como no início do curto-circuito, a corrente aumenta muito e de modo instatâneo, há uma detecção pelo circuito magnético (devido a grande variação do fluxo magnético).

Em muitas instalações bifásicas, o pessoal utiliza 2 disjuntores monofásicos, o que é errado! Pois, em caso de problemas, apenas um disjuntor desarmará, enquanto o outro continuará com continuidade. Assim, a fase continuará chegando no equipamento, que no momento de manutenção, pode causar acidentes. Vale lembrar que motores trifásicos podem queimar por falta de uma fase, ou seja, não utilize 3 disjuntores monofásicos para proteger o circuito dele, e sim, apenas um tripolar.

Para seu dimensionamento, faz-se necessário conhecer a corrente nominal do circuito que ele irá proteger e a corrente máxima do condutor. A corrente de desarma do disjuntor obrigatoriamente tem que estar entre as duas citadas anteriormente:

  • Maior que a corrente nominal do circuito: senão, em condições normais, com o circuito todo carregado, o disjuntor desarmaria;
  • Menor que a corrente máxima do condutor: é a função principal do disjuntor, proteger a instalação elétrica. Assim, antes que chegue a corrente máxima suportada pelo condutor, ele deverá desarmar.

Se entre ambas houver apenas um disjuntor (por sua corrente nominal (de desarme)), projete-o. Caso contrário, siga os seguintes passos:

  • Para o disjuntor 1, multiplique-a por 1,9 (se disjuntor for menor ou igual a 10A), 1,75 (de 16A a 25A) ou 1,6 (maior que 25A). Se este resultado for menor ou igual ao produto da corrente máxima do condutor por 1,45, este disjuntor pode ser utilizado.
  • Para o disjuntor 2, faça a mesma coisa.
  • Se ambos poderem ser utilizados, você terá que usar o bom-senso para que: a corrente nominal do disjuntor não fique nem tão próximo à corrente nominal do circuito, e nem tão próximo à corrente máxima do condutor. Vale também considerar utilizar o disjuntor de menor amperagem para circuitos resistivos.

Se o disjuntor for instalado em ambientes de alta temperatura (acima de 40ºC), faz-se necessário acrescentar mais uma condição para seu dimensionamento: a corrente nominal do circuito tem que ser igual ou menor do que o produto da corrente nominal do disjuntor pelo fator de temperatura (a tabela pode ser encontrada facilmente na Internet). Isso porque o disjuntor já estaria aquecido, e desarmaria em uma corrente menor do que a projetada para ele. Desse modo, é projetado um disjuntor de maior amperagem para compensar o aumento da temperatura.

Lembrando que, caso a temperatura do ambiente volte a baixar definitivamente, é necessário um novo dimensionamento do disjuntor, senão poderá acontecer de que sua corrente de desarme esteja maior que a corrente máxima do condutor. E como falei, para ambientes quentes, isso não é problema, desde que projetado corretamente.

Preste atenção também na diferença de temperatura ambiente entre o local do disjuntor e a extensão do circuito que ele protege. Possa ser que ele esteja num local muito mais frio que o seu condutor, assim sua corrente de disparo será maior do que a especificada, podendo ultrapassar a corrente máxima suportada pelo condutor.

27 Responses to “Disjuntores”

  1. 1
    Anonymous Says:

    Olá Carlos!
    Favor me tirar uma dúvida. Há um sentido correto para ligação do disjuntor? Entrada da rede e saída para os circuitos?

  2. 2
    Marciene Says:

    Falando sobre os disjuntores não terem nunca o neutro ligado a eles, Matheus existe uma exceção. O disjuntor e o interruptor diferencial residual ou como se é mais conhecido o DR. Eles têem o neutro ligado a eles. Matheus por favor, fale um pouco sobre eles. E valeu pelo site. Vou sempre dar uma olhadinha nele e fazer cometários.

  3. 3
    Marciene Says:

    Matheus, tenho uma duvida. No caso de usar o disjuntor como interruptor em uma indústria, ele não pode ser colocado na entrada. O QD fica lá dentro. Mas para se chegar até ele temos que iluminar o caminho até o QD. Deixaríamos uma lâmpada sempre ligada através do percurso. Poderia ser uma iluminação de emergência? Mas há duvidas com relação a esta também, se a iluminação de emergência for através de módulos, eles iriam descarregar e se for no QD de emergência? Pode ficar ligado? Poderíamos criar um circuito para este percurso que não poderia ser desligado e este ficaria no QD de CA mas com módulos de emergência? Por favor verifique as possibilidades e me responda.

  4. 4
    Ademar Saito Says:

    Carlos,

    Favor me tirar uma dúvida. Há um sentido correto nas ligaçôes dos disjuntores? Entrada da rede e saída para os circuitos?

  5. 5
    Por que usar disjuntor? | Carlos Matheus - Eletricidade Says:

    [...] leia o post Disjuntores [...]

  6. 6
    Disjuntor, DR e o neutro | Carlos Matheus - Eletricidade Says:

    [...] leia os posts Disjuntores e Dispositivo DR [...]

  7. 7
    Disjuntor em desacordo com o faseamento do circuito. | Carlos Matheus - Eletricidade Says:

    [...] leia o post Disjuntores [...]

  8. 8
    DR: dispositivo ou disjuntor? | Carlos Matheus - Eletricidade Says:

    [...] leia os posts Disjuntores e Dispositivo DR [...]

  9. 9
    Chuveiro e disjuntor | Carlos Matheus - Eletricidade Says:

    [...] leia o post Disjuntores [...]

  10. 10
    CAIPIRA Says:

    Já que a corrente elétrica é a base para se dimensionar o disjuntor. Pergunto: por que não se utiliza o seguinte calculo; ( I = V . R ou I = P / V ? diretamente?

  11. 11
    Lilianna Says:

    Olá,estou com um grande problema e com várias dúvidas, conectar os cabos de iluminação diretamente na saída do disjuntor geral,localizado na caixa de medição,gera um curto-circuito? sempre,ou poderia ocorrer um curto,por outro motivo? ou seja,quem faz este tipo de ligação não sabe o que está fazendo ou podemos pensar em uma simples fatalidade?? a ligação provisória seria a saída para este problema? ou não??

  12. 12
    Conceito de seletividade | Carlos Matheus - Eletricidade Says:

    [...] leia o post Termos montante e jusante em eletrotécnica e Disjuntores [...]

  13. 13
    michel iris Says:

    olá bom dia, gostaria de saber, porque o dinjuntor não pode ser utilizado como interrupitor?
    aguardo anciosamente

  14. 14
    Marcel Serafim Says:

    Muito bom a descrição sobre o uso de disjuntores.
    Atualmente os profissionais da área elétrica possuem diversas dúvidas como estas.

    Abraços

    Marcel Serafim
    http://abbservicedebaixatensao.blogspot.com

  15. 15
    Ariane Says:

    Olá!
    Por favor: será que alguém poderia me esclarecer uma dúvida ?

    Os disjuntores tem lado certo para se ligar? ( tipo, ele liga para o lado em que entra a fase que vem da rua ou para o lado em que entra para a casa? )
    Desde já, muito obrigada!!

    Ariane

  16. 16
    J.P Says:

    por favor qual é o lado correto de ligar um dijuntor

  17. 17
    carol Says:

    Matheus,

    Gostaria de saber se existe diferença entre: disjuntor termomagnético e disjuntor residual.

    NÃO CONSIGO ACHAR NADA SOBRE O ASSUNTO.

    OBRIGADA.

  18. 18
    Mara Says:

    Caro Matheus,

    adquiri um disjuntor termomagnético da Lorenzetti, tem uma indicação na lateral entrada linha e outra no lado oposto como se fosse saida da carga, como seria feita a ligação da forma correta?
    entro com a fase onde indica linha, faço a saida dessa fase onde indica carga levando para a tomada, e o neutro ligo diretamente na tomada?? seria isso??

  19. 19
    Fabio Says:

    Bom dia Carlos! Parabéns pelo espaço!
    Gostaria de saber se existe alguma citação em normas técnicas especificando algum lado de entrada para a ligação de disjuntores e também se há algo contrário (em normas) em se fazer a distrubuição interna do quadro entre os circuitos com cabos ao invés de barramento. Pelo menos na 5410 não encontrei nada.
    Um abraço!

  20. 20
    Bruno Fróes Says:

    olá Carlos,

    estou com uma dúvida: Comprei um chuveiro elétrico 5500W, 127V, e a especificação técnica padroniza um disjuntor de 50A E CABO DE 10MM2. O eletricista achou um exagero este cabo e disjuntor, disse que cabo de 6mm2 e disjuntor de 40A resolve. O que acha? Grato e parabéns pelo espaço.

  21. 21
    Carlos Matheus Says:

    Bruno, só pelo cálculo da corrente do chuveiro, dá mais que 40A.

  22. 22
    Luis da Silva Barros Says:

    Eu troquei parte da instalação do chuveiro da minha casa, coloquei um dijuntor de 50A no centro de medição do prédio, que vai para o partamento com uma fiação de 4mm que chega na caixa de entrada do apartamento e serve a
    casa toda.
    Depois troquei a fiação que vai até o chuveiro que é de 6mm e o dijuntor de 30A e o chuveiro de 5500 watts e voltagem de 220, depois de algum meses o chuveiro começou a esquentar demais, tanto no morno como no quente, já troquei 4 chuveiros com a mesma voltagem e continua a mesma coisa e um deles esquentava até no neutro, verifiquei a corrente de água e esta normal. Por gentileza, pode me responder se o que eu fiz está correto ou tem algum problema.

    Muito Obrigado pelo espaço

    Luis

  23. 23
    Carlos Matheus Says:

    Luis, como assim o chuveiro começou a esquentar? A carcaça do chuveiro, ou os fios que vão ao chuveiro? Se for a carcaça, melhor trocar o chuveiro. Ela não deveria esquentar tanto assim. Se for os fios e você verificar que a corrente está normal (aproximadamente 25A no máximo), então pode ser o condutor, pois sua dimensão é insuficiente para a corrente. Marque com um técnico de elétrica de sua região, ele será capaz de resolver isto para você.

  24. 24
    CESAR PEREIRA Says:

    OLÁ! CARLOS MATHEUS, TUDO BEM?
    GOSTARIA DE COLOCAR UM DISJUNTOR BIPOLAR DE 80 AMEPRES MAS TENHO QUE COLOCAR TAMBÉM UM FIO CABO DE 35MM? O MEU ATUAL DISJUNTOR É DE 60A BIPOLAR, MAS QUERO FAZER ISTO. ESTOU CERTO OU ERRADO?

  25. 25
    Carlos Matheus Says:

    Cesar, depende. Qual a finalidade da troca do disjuntor? Geralmente, o que gera o fato da troca do disjuntor é o aumento de carga. E para trocar o disjuntor, tem-se que trocar primeiro os condutores (se necessário).

  26. 26
    Gilnei Says:

    Olá,
    Gostaria de saber se tem lado a entrada de fio no disjuntor.

  27. 27
    Judson Says:

    oi tenho uma duvida, se poder me ajude.. tenho um ar condicionado de 9000 BTU’s… ele é 220v e tenho que usar um transformador 110/220v… a pergunta é: quantos amperes deve ser o disjuntor e se devo coloca-lo antes ou depois do transformador, ou seja antes da entrada 110 ou depois da saída 220?

  28. 28
    Carlos Matheus Says:

    Judson, você pode instalar o transformador a jusante do disjuntor, já que ele pode ser considerado um equipamento junto com o seu ar-condicionado (ele vai ser exclusivo). Só que, a sua corrente nominal não será de acordo com a corrente nominal do ar-condicionado, e sim raiz(3) menor (se a tensão for 127V).
    Ocorrendo um curtocircuito do lado de A.T. deste transformador, o mesmo será refletido no lado de B.T. e o disjuntor desarmará.
    Veja minha resposta ao comentário de Camila e Marcos: http://carlosmatheus.com.br/?p=67

  29. 29
    Judson Says:

    ok matheus, entendi que eu posso colocar o transformador depois do disjuntor certo.. então observe se desta forma que ele foi instalado está correto.. tipo, um disjuntor de 10A recebe a fase e a distribui para uma tomada, onde ja se encontra instalado o neutro, e o transformador é ligado nessa tomada e o ar na saída 220 do transformador… nesta configuração o disjuntor estar desarmando… o que pode ser? caso queira entender melhor posso mandar pra você uma planta da instalação… desde ja agradeço pela ajuda.

  30. 30
    Nilson Says:

    Olá!

    Gostaria de tirar uma dúvida: Se eu tiver uma rede trifásica de entrada, e nesta rede tiver um disjuntor geral com problema, sendo que não desarma por curto circuito. A pergunta é: Os disjuntores secundários irão desarmar mesmo sem carga sobre eles?

  31. 31
    Carlos Matheus Says:

    Nilson, a ação dos disjuntores secundários independem da condição do disjuntor geral. Os secundários continuarão a operar independentemente entre si, conforme a corrente que passe por cada um deles. Entretanto, a instalação está comprometida.

  32. 32
    Josemar dos santos Says:

    Olá, boa noite.

    Alguém sabe me informar quando é que sei que o disjuntor está com defeito?

    Abraços

  33. 33
    francisco telles Says:

    Gostaria de saber se é possível alimentar com um único alimentador um conjumto de lâmpadas fluorescentes (HO 110w – 98 lâmpads;Fluorescentes 40w-70 lâmpadas), 13.580w aprox.em 220v, com um único circuito e disjuntor.

  34. 34
    Carlos Matheus Says:

    O problema é que, se uma lâmpada der curtocircuito, todas as outras desligariam, e tudo ficaria no escuro. Melhor seria dividir em três circuitos, e intercalar os três a cada três lâmpadas. Assim, você ainda teria iluminação se um ou dois circuitos falharem.

  35. 35
    manoel castro Says:

    obrigado carlos vc me ajudou muito cm tantas explicaçoes,que Deus te abençoe e te guarde.

Leave a Reply